quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Dúvidas

Um ano e pouco. Tudo mudou. Muitas pessoas desapareceram, muitas apareceram e muitas voltaram. Sabem aquele sentimento espontâneo de quando conhecemos alguém e acreditamos que pode ser para toda a vida? Eu soube. Aquelas frases clichês "Sinto que te conheço desde sempre", "Nunca me senti tão segura com ninguém" entre outras, são mesmo verdade. O grave problema é quando o sentimento não é recíproco ou não sabemos de todo o que o outro sente e pensa. Mais grave ainda é quando essa pessoa aparece e desaparece tão depressa que nem tempo temos para o percebermos. Nem tempo tivemos para perguntar o que aconteceu, ou o que aconteceu de errado. Não tivemos tempo de dizer tudo o que pensavamos ou que estavamos a sentir. E depois, a ansiedade vai crescendo, os sentimentos vão mudando e as dúvidas persistem. Continuamos sem uma resposta. Por mais inacreditavel que pareça, aparece outra pessoa repentinamente. Assume tudo o que sente, dá-se a conhecer, empenha-se para nos conquistar. O que mais queremos é dizer que sentimos o mesmo, que queremos ser felizes com ela, que a queremos fazer feliz. Mas os sentimentos não nos deixam transmitir em palavras tais sentimentos. A voz cala-se. Trava-nos as ações e deixa-nos com os pensamentos nos sentimentos que outrora haviamos sentido e que continuam lá. Lutamos para fugir deles, lutamos para os esquecer, mas o problema é a esperança que alimentamos na ansia de que um dia destes tudo volte atrás, àquele dia único em que só existiam duas pessoas que juntas pareciam uma só.

Sem comentários: