quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Tudo tem o seu tempo.

Ontem, em conversa com uma pessoa que costuma acompanhar o que aqui vai sendo escrito, apercebi-me de uma coisa. Essa pessoa dizia-me que o blogue estava diferente, o meu tipo ou temas de escrita estavam diferentes, que não falava tanto sobre, talvez, sentimentos, vivências, temas mais introspetivos, quer para mim, quer para vocês. Fui para casa a pensar nisso...
Realmente é verdade.
Quando criei o blogue estava numa fase da minha vida completamente diferente da que me encontro neste momento. Tinha outras vivências, outras amizades, outra forma de ver a vida. Basicamente a minha vida era outra. Certo é que o que nos acontece ao longo dos anos molda-nos, faz-nos refletir sobre as nossas atitudes e as nossas escolhas e sobre as consequências que isso nos trouxe. É ou não verdade? Não serei a única pessoa no mundo, nem tão pouco em Portugal, a pensar assim.
Passei de aluna universitária que vivia noutra cidade que não a minha e que tinha rotinas totalmente diferentes,  para rapariga licenciada, à procura de emprego e de regresso à cidade natal. Entre procura de emprego, voluntariado, amizades, amores e desamores e desilusões a vários níveis, mudei. A minha vida mudou. Cresci, e hoje tenho consciência disso. E isso é bom. Felizmente ou infelizmente, as amizades que tinha, várias esvaneceram-se ao longo do tempo. Talvez porque não tinham de ser mantidas. Outras fortaleceram-se, novas surgiram, e que bom que é fazer novas amizades! Durante os últimos anos só tenho de agradecer aos amigos de sempre, aos que estão comigo em todos e qualquer momento, seja nos melhores ou nos piores acontecimentos. Nos entretantos, arranja-se emprego, amores veêm e vão, ganhamos afilhados que nos arrasam o coração  :-), ultrapassamos desafios e dificuldades.
Se me pedirem para fazer um balanço ou um resumo do tempo em que estive afastada do blogue, perdoem-me mas não sou capaz. Aconteceram muitas coisas, nem todas boas nem todas más, mas se há coisa que aprendi com o tempo é que o melhor guardamos para nós. Não me levem a mal, mas prometo que vou partilhando tudo o que puder na altura e fase certas da minha vida e, por enquanto, esta não é uma delas...


Sem comentários: