terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Ser feliz sim!



2014 não foi, de todo, um ano fácil. 
Foi pautado de muitas tristezas, mas ao mesmo tempo de muitas alegrias, de muito amor, de sucessos. Foi um ano um pouco conturbado.
No entanto, tive sempre presente a minha família, a família que se escolhe, o amor, as pequenas alegrias e mimos do quotidiano. Muito obrigada a todos os que estiveram sempre presentes para me estender a mão quando precisei ou para me felicitar pelos sucessos que alcancei. 2015 vai ser, sem dúvida alguma, um ano muito melhor, porque é bom acabarmos o ano com certezas, e eu, eu estou cheia delas neste momento. O coração e a razão não enganam. 
Por isso, a todos os que me são queridos, aos meus amigos, família, colegas, a todos os que quero bem, desejo-vos o que desejo para mim: muita saúde, amor e como caminhos novos não existem, venha uma forma nova de caminhar neste novo ano que está quase a chegar  

Feliz 2015!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

A separação do casal e a guarda partilhada

Há tanto para aprender neste campo!

Os pais não podem utilizar os filhos como desculpa ou arma de arremesso devido aos problemas que só existem entre os dois. Independentemente de tudo as crianças devem ser sempre preservadas o máximo possível. Cada progenitor tem o direito de seguir a sua vida e de reorganiza-la a nível global, por isso, por muito que se sofra, devem ser tomadas decisões bem ponderadas, mas que tragam paz e minimizem os danos do desgaste e fim de uma relação, só porque se tem medo do que vem a seguir. Uma criança cresce feliz tendo os dois pais a seu lado nos momentos mais simples e mais complexos das suas vidas, independentemente da sua separação ou não. Estes só têm de aprender a lidar com as diferenças que a separação traz para as rotinas das crianças e manterem uma relação parental cordial, reestruturando papéis e acompanhando os filhos de forma equitativa por forma a crescerem de forma saudável, compreendendo que a imagem que se tem de família pode ser muito diferente do que a que a população em geral está mais familiarizada.