terça-feira, 21 de abril de 2015

"Perdoas-me amar-te em silêncio para sempre?"

Esta frase podia ser minha, mas é da autoria do escritor Pedro Chagas Freitas. Autorias à parte, diz tanto. Diz-nos tanto, não diz? Por vezes tomamos decisões na vida conscientes das suas consequências, más, mas mesmo assim decidimos toma-las. Será certo abdicar do amor só porque este não nos trará, a longo prazo, o que tínhamos sonhado? Será que os sonhos, o futuro que idealizamos para nós deve valer mais que o nosso amor por outra pessoa? Valerá a pena desistir de lutar por um amor só porque não é exatamente o que idealizámos? Pensamos nos pós e nos contras de tudo. Pensamos nas consequências para nós, para os outros, para todos. Será que pensamos mais nos outros quando temos decisões importantes para tomar? Penso que não... Melhor, espero que não! Mas as dúvidas persistem, o tempo vai passando e nós continuamos a pensar... Se chegamos a alguma conclusão?! Talvez sim, talvez não. Sinceramente não sei. Não sei o que vos diga. O amor é um sentimento tão maravilhoso quanto destrutivo. Temos de compreender qual é o nosso caminho, o que queremos para nós, porque o futuro, esse não o sabemos. Vivemos tudo sem pensar nas consequências, em nome de um amor ou calamo-nos, remetemo-nos ao silêncio, amando uma pessoa para sempre e tentamos amar uma outra, só porque as circunstâncias não são as perfeitas?!

Sem comentários: