terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Ser feliz sim!



2014 não foi, de todo, um ano fácil. 
Foi pautado de muitas tristezas, mas ao mesmo tempo de muitas alegrias, de muito amor, de sucessos. Foi um ano um pouco conturbado.
No entanto, tive sempre presente a minha família, a família que se escolhe, o amor, as pequenas alegrias e mimos do quotidiano. Muito obrigada a todos os que estiveram sempre presentes para me estender a mão quando precisei ou para me felicitar pelos sucessos que alcancei. 2015 vai ser, sem dúvida alguma, um ano muito melhor, porque é bom acabarmos o ano com certezas, e eu, eu estou cheia delas neste momento. O coração e a razão não enganam. 
Por isso, a todos os que me são queridos, aos meus amigos, família, colegas, a todos os que quero bem, desejo-vos o que desejo para mim: muita saúde, amor e como caminhos novos não existem, venha uma forma nova de caminhar neste novo ano que está quase a chegar  

Feliz 2015!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

A separação do casal e a guarda partilhada

Há tanto para aprender neste campo!

Os pais não podem utilizar os filhos como desculpa ou arma de arremesso devido aos problemas que só existem entre os dois. Independentemente de tudo as crianças devem ser sempre preservadas o máximo possível. Cada progenitor tem o direito de seguir a sua vida e de reorganiza-la a nível global, por isso, por muito que se sofra, devem ser tomadas decisões bem ponderadas, mas que tragam paz e minimizem os danos do desgaste e fim de uma relação, só porque se tem medo do que vem a seguir. Uma criança cresce feliz tendo os dois pais a seu lado nos momentos mais simples e mais complexos das suas vidas, independentemente da sua separação ou não. Estes só têm de aprender a lidar com as diferenças que a separação traz para as rotinas das crianças e manterem uma relação parental cordial, reestruturando papéis e acompanhando os filhos de forma equitativa por forma a crescerem de forma saudável, compreendendo que a imagem que se tem de família pode ser muito diferente do que a que a população em geral está mais familiarizada.



terça-feira, 25 de novembro de 2014

À violência diga NÃO!

Neste dia não podemos deixar de lembrar todas as vítimas mortais de violência conjugal. Não podemos esquecer todas as mulheres e homens que são vítimas diariamente deste crime. O mais importante é lembrar-mo-nos todos os dias que este crime existe, atinge muitas pessoas que por vezes conhecemos e fingimos que não sabemos de nada só porque é mais fácil fazer de conta. Basta de hipocrisias, basta de esconder crimes tão graves e que trazem consequências terríveis quer para mulheres, homens e crianças. Por outro lado, chega de pensarmos que é um crime que só atinge mulheres. Também existem muitos homens vítimas que merecem todo o respeito e apoio como qualquer outra vítima. Não esquecendo, por fim, que os agressores também não podem ser deixados ao acaso e limitar-mo-nos a que a justiça se faça. Estes precisam de ajuda, precisam de intervenção. Eu acredito na mudança social e por isso mesmo não podemos reduzir esta problemática só a uma questão de mulheres e vítimas.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Oh Yes I do, of course I do!

Quando alguém se vira para nós e nos pergunta se ainda o queremos.
Depois de tudo o que passámos, tudo o que ultrapassámos, tudo o que vivemos?
A vida dá muitas voltas, é certo, mas há coisas que se mantêm.
I believe in magic!
Yes I do!



E esta música não me sai do ouvido! 
"And if you were to ask me
After all that we've been through
Still believe in magic
Oh yes I do
Oh yes I do
Yes I do
Oh yes I do
Of course I do"***

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Tudo tem o seu tempo.

Ontem, em conversa com uma pessoa que costuma acompanhar o que aqui vai sendo escrito, apercebi-me de uma coisa. Essa pessoa dizia-me que o blogue estava diferente, o meu tipo ou temas de escrita estavam diferentes, que não falava tanto sobre, talvez, sentimentos, vivências, temas mais introspetivos, quer para mim, quer para vocês. Fui para casa a pensar nisso...
Realmente é verdade.
Quando criei o blogue estava numa fase da minha vida completamente diferente da que me encontro neste momento. Tinha outras vivências, outras amizades, outra forma de ver a vida. Basicamente a minha vida era outra. Certo é que o que nos acontece ao longo dos anos molda-nos, faz-nos refletir sobre as nossas atitudes e as nossas escolhas e sobre as consequências que isso nos trouxe. É ou não verdade? Não serei a única pessoa no mundo, nem tão pouco em Portugal, a pensar assim.
Passei de aluna universitária que vivia noutra cidade que não a minha e que tinha rotinas totalmente diferentes,  para rapariga licenciada, à procura de emprego e de regresso à cidade natal. Entre procura de emprego, voluntariado, amizades, amores e desamores e desilusões a vários níveis, mudei. A minha vida mudou. Cresci, e hoje tenho consciência disso. E isso é bom. Felizmente ou infelizmente, as amizades que tinha, várias esvaneceram-se ao longo do tempo. Talvez porque não tinham de ser mantidas. Outras fortaleceram-se, novas surgiram, e que bom que é fazer novas amizades! Durante os últimos anos só tenho de agradecer aos amigos de sempre, aos que estão comigo em todos e qualquer momento, seja nos melhores ou nos piores acontecimentos. Nos entretantos, arranja-se emprego, amores veêm e vão, ganhamos afilhados que nos arrasam o coração  :-), ultrapassamos desafios e dificuldades.
Se me pedirem para fazer um balanço ou um resumo do tempo em que estive afastada do blogue, perdoem-me mas não sou capaz. Aconteceram muitas coisas, nem todas boas nem todas más, mas se há coisa que aprendi com o tempo é que o melhor guardamos para nós. Não me levem a mal, mas prometo que vou partilhando tudo o que puder na altura e fase certas da minha vida e, por enquanto, esta não é uma delas...


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Formar para Intervir

Este poderia ser o título de uma qualquer formação importante na área da saúde. Mais importante ainda, nesta altura, é falarmos mesmo das I Jornadas do Serviço de Medicina do Novo Hospital de Amarante, referente ao tema “Cuidados de Excelência: Olhar o presente para melhorar o futuro”, que tiveram lugar naquela unidade hospitalar, no dia 17 de Outubro.

É essencial valorizar e apostar na formação de todos os profissionais de saúde e a multidisciplinaridade das equipas de trabalho como um desafio permanente na gestão hospitalar.
Este evento contou com a participação de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais e outros profissionais de saúde que atentaram às explanações dos oradores.

O “Hospital de Proximidade” e a programação da alta hospitalar foram temas em debate nas jornadas, bem como o doente oncológico e toda a sua envolvência e, ainda, a prevenção do reinternamento dos doentes diabéticos e com problemas respiratórios, que contaram com mais de 130 participantes.



domingo, 2 de novembro de 2014

De babar! E é isto.






De babar. É só o que posso dizer da coleção de Outono/Inverno desta ano. A verdade é que todos os anos a marca Intimissimi me e, se calhar também posso falar por vocês, nos surpreende e não é pela negativa decididamente!
Esta coleção é fabulosa. As peças são sempre super confortáveis, lindas de morrer, enfim, maravilhosas. Desde os conjuntos, aos bodies (grande tendência da estação) fabulosos, à roupa em geral, tudo é fascinante. Não encontro adjetivos suficientes no meu vocabulário para classificar todas aquelas peças. Acho quc podia estar aqui toda a noite a escrever, é uma verdade!
E uma curiosidade fantástica que descobri há pouco tempo?! Além de todas estas maravilhas, a marca ainda tem uma "novidade".
Já venho um bocadinho atrasada a dar a notícia porque a iniciativa já começou no dia 1 de Setembro, mas só termina a 31 de Dezembro do presente ano por isso ainda vamos todos a tempo! Ora então, a iniciativa denomina-se "RECICLAR CONVÉM" e basicamente só temos de pegar nas peças de roupa que já não usamos e leva-las até uma loja Intimissimi. Esta encarrega-se de despachar as peças usadas e em troca, mediante o tipo de roupa, recebemos vouchers paa utilizar em compras que nos vão alegrar imenso os dias e as noites, tenho a certeza. Para se inteirarem disto tudo muito bem podem aceder aqui e tirar todas as dúvidas: Intimissimi Recycling

Boas trocas e compras ;-)

Entre mortos e feridos, alguém há-de sobreviver.

Ora pois então já me sentia a falhar um bocadinho aqui no estaminé. Mas só cá vim para vos falar sobre o dia de ontem.
O dia começou como o de milhares de pessoas por este país fora. A correria aos cemitérios é uma questão enraizada na nossa sociedade. Muitos a farão devido à vontade de homenagear e sentir-se mais próximo dos seus neste dia, mas o que me irrita profundamente (e quando eu digo profundamente é mesmo profundamente meus amigos!) são aquelas pessoas que só põem o pé nos cemitérios uma vez por ano e simplesmente para mostrarem que gastaram um horror em flores e que as suas campas são/estão melhores que as dos "vizinhos". Não que esteja contra gastarem todo o dinheiro do mundo em flores, não... Cada um faz o que quer e bem lhe apetece com as suas fortunas mas "esfrega-lo" na cara das outras pessoas é muito feio. Meus amigos, erámos todos muito mais felizes sem pessoas cínicas como vocês a estragar logo o dia pela manhã.
Mas enfim. Lá se passou a fase mais peculiar do dia com uma conversa entre conhecidos do género "Pah, só nos encontramos quase de ano a ano e é sempre aqui. (...) Se não for antes, até para o ano, e que nos encontremos durante os próximos 50 anos". Há que pensar sempre no lado positivo da coisa, é verdade :) Entretanto, compras e mais compras para alegrar mais o nosso dia e muitos encontros inesperados se sucederam.
 O dia terminou com a visita a um dos sobrinhos emprestados aqui da tia. Entre muitos sorrisos, ternuras e birrinhas claro (não vou negar :-) ), acabámos num lanchinho tardio e numa tentativa de regresso a casa. "Tentativa?" perguntam vocês. E eu, infelizmente tenho de responder que "Sim", tentativa. Não é que chego ao meu adorado carro, e ele não dá uma para a caixa?! Mal o conseguia destrancar, introduzia a chave na ignição e nada de nadinha... Nem sinal de vida. Quase uma da manhã e uma pessoa a passar frio, sem perceber patavina de mecânica e à espera do socorro solicitado. Cheguei a casa, bebi um chazinho para aquecer o corpo e a alma e assim chegamos ao fim deste dia um pouco para o inesperado.
A boa notícia no meio disto tudo: temporariamente o modelo utilizado é preto, familiar e que me alegra tanto quanto o meu vermelhinho :-)  


terça-feira, 28 de outubro de 2014

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

E não é que fui ao futebol?!

E se achavam que o blogue era só sobre temas fofinhos, queridinhos e em defesa dos mais vulneráveis desenganem-se.Ontem deu-me para isto:


Pois é, contra todas as expectativas para um domingo de tarde... fui ao futebol! 
Claro, quem me conhece sabe perfeitamente que não morro de amores por futebol, principalmente quando falamos em ver um jogo pela televisão... Agora quando falamos em ir ver um jogo a um campo, in locco, mesmo a sério, isso já é outra coisa.
Até se pode lá chegar impávida e serena, tranquila da vida a pensar que nunca mais começa aquela treta para depressa nos despacharmos... Mas quando o árbitro apita, o jogador dá o pontapé de saída e começa o jogo, meu deus. A adrenalina faz-nos fervilhar! 
Quando damos por nós, estamos a gritar pelos jogadores, a bater palmas, a chamar nomes menos corretos ao árbitro (admito), de pé a esbracejar... Estarmos até aos últimos minutos à espera de um milagroso golo que nos dê a vitória, a bola a voar bem alto, os jogadores desorientados a darem o tudo por tudo para tentar alcançar a vitória, chegarmos ao fim, o árbitro apitar e... nada. Enfim!

Loucuras de:


Primas, pois claro!
Só podia dar nestas aventuras. A minha companheira de viagens mais atribuladas e divertidas. Sem ti não era, de todo, a mesma coisa. É assim, também não vamos ser tão sectários... A verdade é que a tarde acabou nas compras, onde mais poderia ser?! :-)
Mas fica prometido, de quando em vez lá iremos nós ao futebol. E a seguir às compras... As mulheres são assim... Ou pelo menos nós somos e gostamos :)

P.S.: Ainda quanto ao futebol... Existem sempre várias variáveis a analisar durante o mesmo, e mais não digo. ;-)


sábado, 25 de outubro de 2014

"Não decido nada". Pois sim... Mas e depois?

Existem muitas fases nas nossas vidas. 
Passamos por tantas provações, tantos obstáculos, tantas dificuldades... 
É certo que ninguém é igual a ninguém. Ninguém pode dizer "o meu problema é muito maior que o teu". Não é justo. Tudo tem um peso e uma medida. Nada é tão linear. Nada é tão simples de classificar. Todos sentimos as coisas de formas e com intensidades diferentes. Sejam problemas, amorosos, financeiros, laborais, familiares, problemas triviais do dia a dia. Ninguém tem a mesma capacidade de lidar com estes ou retirar o essencial da sua resolução e seguir em frente.
A vida não é fácil. E quem disse que era? Há um tempo para tudo. Há um tempo para refletir, para assimilar problemas, mudanças. Há um tempo para tomar decisões. 
Decisões... Essas coisas parvas que alguém inventou que, não raras as vezes, só nos vêm dificultar ainda mais a vida. Até podemos dizer assim na loucura "Não decido nada". Pois sim... Mas e depois? Continuamos a viver a nossa vidinha como sempre ou andamos a deambular pela rua, pela nossa casa, pelo trabalho, sem destino certo, sem objetivos de vida, sem um sentido. Não. Isto não pode acontecer. Ninguém deve, ninguém se pode resignar a isto. Todos merecemos muito mais. Temos de viver. Temos de dar sentido à nossa existência. Temos de aprender com os erros, com os obstáculos, com as adversidades e seguir em frente. Podemos cometer muitos erros, ou não, mas a verdade é que não podemos estagnar. Não podemos deixar a felicidade passar-nos ao lado. Não podemos viver "num faz de conta". 
E quanto ao que os outros esperam de nós? A maioria das vezes somos sub ou sobrevalorizados. É a realidade. Não é fácil atingirmos as expectativas que cada pessoa detém sobre nós. Por vezes desiludimos, outras surpreendemos pela coisa extraordinária que dissemos ou fizemos. Somos seres humanos, capazes de cometer atrocidades bem como os atos mais fantásticos de sempre. Mas somos humanos. Não nos podem exigir a perfeição. Se fossemos perfeitos valia a pena? Todos os esforços, todas as provações? Claro que não. Não teríamos ninguém que nos pudesse congratular, dizer que estivemos muito bem ou muito mal. Nós precisamos disso para melhorarmos, para enaltecer o que de grandioso há em nós e minimizar os nossos defeitos. Seja para nos tentarmos tornar pessoas melhores, seja para vincarmos a nossa pessoa, com todos os nossos defeitos, feitios e qualidades, claro. 
Não se limitem a responder sim ou não, a virar as costas e fingir que nada aconteceu ou existiu. Confrontem-se a vocês mesmos, sejam mais autocríticos, ajam mais, lutem mais, amem mais, sintam mais. Não somos máquinas, somos pessoas. Não se resignem, nunca!

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Divulgar Amarante com sabores :-)

Minha boa gente, no passado sábado realizou-se em Amarante a I Feira do Cogumelo. 
Esta foi organizada pela Nossa Associação Portuguesa de Cogumelos e constou de demonstrações culturais assim como gastronómicas ao longo do dia, realizadas por grupos locais e pela Escola de Hotelaria do Peso da Régua com o apoio da Casa da Calçada localizada cá em Amarante. 
Para além desta feira que nos maravilhou e contou com a presença de muitos amarantinos e turistas interessados pela nossa cultura, a Associação Portuguesa de Cogumelos - APRC - não ficou por aqui. 
Realizou-se, assim, uma parceria com o Café-Bar Restaurante S. Gonçalo que se repercutiu na criação de uma francesinha de cogumelos deliciosa (comprovada pelo grupo de amigos :-) ) 


E porque o ser humano é um ser insatisfeito por natureza, a saga continua. Desta feita, já neste próximo fim de semana, a Associação irá estar presente como parceira na Rota das Estrelas, na Casa da Calçada. Irão levar, desta forma, o seu produto de eleição para o mundo da alta cozinha, promovendo-o através da versatilidade da sua utilização.


Assim vamos divulgando os nossos produtores, os nossos empreendedores, o que é Nosso! Obrigada a todos os que gostam de Amarante, os que trabalham diariamente para a tornar "maior" e melhor e vamos lá divulgando todas estas parcerias atuais e futuras que nos engrandecem :-)








quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Educação Inclusiva

Hoje já chego numa hora mais tardia, assim como o motivo que me traz cá hoje. Além disto, hoje há mudança de temáticas. Vamos falar de coisas sérias.
Este tema está diretamente relacionado com outro tema atualíssimo: a educação.
A Segurança Social "poupou" 18,6 milhões de euros nos apoios às crianças com necessidades educativas especiais. Houve uma diminuição dos subsídios por educação especial, assim como a bonificação do abono de família para crianças e jovens com deficiência (que podem acumular com aquele subsídio), também registou reduções. 
O facto mais grave no meio disto tudo é que o número de alunos que apresentam necessidades educativas especiais (NEE), a frequentar as escolas regulares nos diferentes graus de ensino, aumentaram. As alterações que o Ministério da Segurança Social efetuou, no que diz respeito aos critérios de elegibilidade para estes apoios (subsídios para a educação especial e bonificação do abono de família) sofreram alterações, deixando milhares de famílias sem direito a estes apoios. 
Estas crianças e jovens poderão ser bastante afetados no futuro por estas "supostas poupanças", pois estes deixam de ter acesso às terapias, agravando problemas na e para a sociedade, problemas estes que poderiam ter sido resolvidos ou minimizados numa idade mais precoce.


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Mais que simples mimos

De quando em vez sou mimada... e gosto tanto!
Presentes dados com amor e abençoados por uma força maior :) Veio diretamente de um local onde nunca coloquei os pés mas um dia chego lá! Eu e um dos meus grupos de amigos com o qual já combinei essa viagem há dois anos... Sim, já lá vão dois anos mas nós chegamos lá :)
Quanto ao presente, para quem ainda não tinha percebido, é a pulseira. Uma pulseira maravilhosa, protetora, através de mochos, tartarugas e a árvore da vida, abençoados para me guiar sempre ao longo desta nossa vida :)



sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Estou à beira de um ataque de nervos!

Há uma marca de lingerie da qual eu não abdico, especialmente nos saldos. A Intimissimi é uma marca com a qual me identifico bastante, tem sempre peças maravilhosas de ficar a babar. Pois claro que a coleção de Outono/Inverno não é diferente. Esta marca abrilhanta-me, e acredito que a vocês também, o meu dia sempre que vejo mais umas peças fantásticas.
Mas o que realmente me fez escrever a estas horas é o grave problema que esta me está a causar. Eu, que sou apreciadora de ver televisão, sempre que tenho um tempinho para mim aproveito para me pôr a par das novidades e de tudo o que vai passando. Neste sentido, o grave problema com o qual me ando a deparar há dias é que a Intimissimi está muito bem de dinheirinho! A cada intervalo entre programações passa o anúncio ao Natural Bra (penso que não estou enganada no nome), push-up, sem costuras e sem aros. E meus amigos, este anúncio passa 3 a 4 vezes no mesmo intervalo! Por favor, eu sei que a marca é boa, a modelo é bonita e jeitosa mas levar com ela 50 vezes por dia no ecrã... Não, por favor! 



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

As mulheres são descartáveis?!

Nos últimos tempos, já para não dizer desde sempre, somos bombardeados com problemas da sociedade. Graves problemas, uns mais que outros, diria eu. Entre muitos há um que me inquieta, que me revolta. A liberdade da mulher na hora de escolher entre ser mãe e manter um emprego, ou trabalho, pois infelizmente bem sabemos que é o que estas mais têm neste "país". 
Há pouco tempo fomos bombardeados com notícias sobre mulheres que terão sido incitadas pelas suas entidades patronais a assinar declarações nas quais se comprometiam a engravidar nos próximos cinco anos.Como é possível, em pleno século XXI, estarmos sujeitas, só pelo simples facto de sermos mulheres, a tais atos discriminatórios, redutores e até mesmo me poderei atrever a chamar-lhes ditatoriais, como estes? Onde estão os direitos individuais e da família respeitados e protegidos desta forma? O Governo tem, efetivamente, que atuar de forma urgente e concertante para pôr fim a este crime! Mas não ficamos por aqui. O profissional escolhido pelo Governo para liderar a equipa que irá traçar um plano de ação para a natalidade exalta que Portugal, daqui a 50 anos, encontrar-se-á numa situação insustentável no que diz respeito aos problemas da natalidade. Já não basta todas as limitações sejam sociais, económicas ou outras para se poder ser mãe caso seja essa a nossa vontade, a nossa escolha, ainda temos de ser discriminadas pelas nossas entidades patronais? Não! Claro que não!
Devem apurar-se responsabilidades, realizar ações inspetivas, sensibilizar toda a população feminina que se encontra neste tipo de situação a formalizar denúncias para tentarmos pôr um termo a tal injustiça. E que tal se voltássemos a um regime ditatorial e se nós mulheres ficarmos nos nossos lares a tomar conta da casa e dos filhos enquanto os maridinhos, chefes de família, ganham o dinheirinho e mandam em nós e na casa? Que tal? Parece-lhes bem? Era uma boa ideia não? Colocava-se um ponto final a esta problemática de vez… Não! As mulheres não são descartáveis, assim como não o é o seu direito e a liberdade de escolha de constituir família ou não. Temos direitos que têm de ser respeitados e não abdicamos deles.


sábado, 20 de setembro de 2014

O regresso :-)

Pois é. Dois anos passados e eu já estava muito em falta aqui com o estaminé. Por várias mudanças, dificuldades e até mesmo de falta de motivação levaram-se a fazer esta grande pausa. Mas há novidades! Decidi-me, finalmente, a retomar este espaço, espero pelas vossas visitas e leituras e retomar este espaço com uma data importante: o meu aniversário!
Esta data não é só importante pela pessoa em si, mas também pelos pais que nos deram a vida. É uma data feliz e por isso quis partilha-la com a família: a de sangue e a de coração :) Claro que nem tudo são lamechices e também tive direito a vários presentinhos que me alegraram ainda mais a data. Deixo-vos uma fotografia do maravilhoso bolinho e da coisa mais importante neste momento da minha vida, o príncipe mais pequeno, o meu afilhado António :)


Podia continuar a contar-vos muitas coisas relativas a esta comemoração mas prefiro deixar-vos a minha homenagem à família do coração:
"Mais um ano foi comemorado. Desde há um ano atrás para cá muitas coisas mudaram. Há amigos, como a maioria, que estiveram comigo nesta noite e dia especiais e outras infelizmente por vários motivos não tiveram essa oportunidade. Por vezes esquecemo-nos de agradecer por tudo o que fazem por nós. Pela amizade, pela cumplicidade, pela sinceridade, pelo amor que nos dão. Esquecemo-nos que é preciso dizer que vocês são importantes assim como os outros amores da nossa vida, sejam da família, sejam amigos, seja a pessoa com quem queremos partilhar toda a nossa vida. Obrigada pela presença, pelos presentes (que adorei) e por me aturarem e me acompanharem sempre nos momentos mais felizes e mais tristes da minha vida. Obrigada, ainda, a todos os que me felicitaram quer pelo facebook, por sms, por chamadas, por simples sorrisos, porque nem sempre é preciso falarmos para dizer tudo o que pensamos e queremos. Obrigada aos melhores companheiros do mundo!"