sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Estou à beira de um ataque de nervos!

Há uma marca de lingerie da qual eu não abdico, especialmente nos saldos. A Intimissimi é uma marca com a qual me identifico bastante, tem sempre peças maravilhosas de ficar a babar. Pois claro que a coleção de Outono/Inverno não é diferente. Esta marca abrilhanta-me, e acredito que a vocês também, o meu dia sempre que vejo mais umas peças fantásticas.
Mas o que realmente me fez escrever a estas horas é o grave problema que esta me está a causar. Eu, que sou apreciadora de ver televisão, sempre que tenho um tempinho para mim aproveito para me pôr a par das novidades e de tudo o que vai passando. Neste sentido, o grave problema com o qual me ando a deparar há dias é que a Intimissimi está muito bem de dinheirinho! A cada intervalo entre programações passa o anúncio ao Natural Bra (penso que não estou enganada no nome), push-up, sem costuras e sem aros. E meus amigos, este anúncio passa 3 a 4 vezes no mesmo intervalo! Por favor, eu sei que a marca é boa, a modelo é bonita e jeitosa mas levar com ela 50 vezes por dia no ecrã... Não, por favor! 



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

As mulheres são descartáveis?!

Nos últimos tempos, já para não dizer desde sempre, somos bombardeados com problemas da sociedade. Graves problemas, uns mais que outros, diria eu. Entre muitos há um que me inquieta, que me revolta. A liberdade da mulher na hora de escolher entre ser mãe e manter um emprego, ou trabalho, pois infelizmente bem sabemos que é o que estas mais têm neste "país". 
Há pouco tempo fomos bombardeados com notícias sobre mulheres que terão sido incitadas pelas suas entidades patronais a assinar declarações nas quais se comprometiam a engravidar nos próximos cinco anos.Como é possível, em pleno século XXI, estarmos sujeitas, só pelo simples facto de sermos mulheres, a tais atos discriminatórios, redutores e até mesmo me poderei atrever a chamar-lhes ditatoriais, como estes? Onde estão os direitos individuais e da família respeitados e protegidos desta forma? O Governo tem, efetivamente, que atuar de forma urgente e concertante para pôr fim a este crime! Mas não ficamos por aqui. O profissional escolhido pelo Governo para liderar a equipa que irá traçar um plano de ação para a natalidade exalta que Portugal, daqui a 50 anos, encontrar-se-á numa situação insustentável no que diz respeito aos problemas da natalidade. Já não basta todas as limitações sejam sociais, económicas ou outras para se poder ser mãe caso seja essa a nossa vontade, a nossa escolha, ainda temos de ser discriminadas pelas nossas entidades patronais? Não! Claro que não!
Devem apurar-se responsabilidades, realizar ações inspetivas, sensibilizar toda a população feminina que se encontra neste tipo de situação a formalizar denúncias para tentarmos pôr um termo a tal injustiça. E que tal se voltássemos a um regime ditatorial e se nós mulheres ficarmos nos nossos lares a tomar conta da casa e dos filhos enquanto os maridinhos, chefes de família, ganham o dinheirinho e mandam em nós e na casa? Que tal? Parece-lhes bem? Era uma boa ideia não? Colocava-se um ponto final a esta problemática de vez… Não! As mulheres não são descartáveis, assim como não o é o seu direito e a liberdade de escolha de constituir família ou não. Temos direitos que têm de ser respeitados e não abdicamos deles.


sábado, 20 de setembro de 2014

O regresso :-)

Pois é. Dois anos passados e eu já estava muito em falta aqui com o estaminé. Por várias mudanças, dificuldades e até mesmo de falta de motivação levaram-se a fazer esta grande pausa. Mas há novidades! Decidi-me, finalmente, a retomar este espaço, espero pelas vossas visitas e leituras e retomar este espaço com uma data importante: o meu aniversário!
Esta data não é só importante pela pessoa em si, mas também pelos pais que nos deram a vida. É uma data feliz e por isso quis partilha-la com a família: a de sangue e a de coração :) Claro que nem tudo são lamechices e também tive direito a vários presentinhos que me alegraram ainda mais a data. Deixo-vos uma fotografia do maravilhoso bolinho e da coisa mais importante neste momento da minha vida, o príncipe mais pequeno, o meu afilhado António :)


Podia continuar a contar-vos muitas coisas relativas a esta comemoração mas prefiro deixar-vos a minha homenagem à família do coração:
"Mais um ano foi comemorado. Desde há um ano atrás para cá muitas coisas mudaram. Há amigos, como a maioria, que estiveram comigo nesta noite e dia especiais e outras infelizmente por vários motivos não tiveram essa oportunidade. Por vezes esquecemo-nos de agradecer por tudo o que fazem por nós. Pela amizade, pela cumplicidade, pela sinceridade, pelo amor que nos dão. Esquecemo-nos que é preciso dizer que vocês são importantes assim como os outros amores da nossa vida, sejam da família, sejam amigos, seja a pessoa com quem queremos partilhar toda a nossa vida. Obrigada pela presença, pelos presentes (que adorei) e por me aturarem e me acompanharem sempre nos momentos mais felizes e mais tristes da minha vida. Obrigada, ainda, a todos os que me felicitaram quer pelo facebook, por sms, por chamadas, por simples sorrisos, porque nem sempre é preciso falarmos para dizer tudo o que pensamos e queremos. Obrigada aos melhores companheiros do mundo!"